O RAP DA VACA POPUCHA

Vanjoka, a menina super esperta e sua querida vaca Popucha retornavam felizes de uma big mega festa sideral. As duas ora vinham montadas numa estrela, ora volitavam pelo espaço, fazendo mil peripécias.
Popuchinha curtia um som em seu micro aparelho colado entre as orelhas.
– muaaaal, muaaaal este toque é fenomenal!
– Vanjokinha, que tal gravarmos um rap, e levarmos de presente para o nosso amigo Mano “Bê”, lá no Rio?
– Legal tô dentro minha espertíssima vaquinha. Plasmou?
– Então fechou. Solta som!
– “Veja só que coisa bela
Aqui do espaço dá pra ver
Está depois da atmosfera
Um bom lugar pra se viver
Será que você consegue
Num segundo adivinhar
O lugar é bom à beça
Pra viver, sorrir, sonhar.
O planeta é da horinha
Mas precisa de cuidados
Basta o homem ter vontade
E ser mais civilizado
Ter um pouco de atitude
Acreditar na juventude
Demonstrar habilidade.
Muaaal, muaaal, esse som é fenomenal
Muaaal, muaaal, plasmou, falou, fechou,
(bis).
Esse rap abalou!
– Sente só, a gente aproveita e curte um baile funk.
Vanjoka teclou e gravou o som, quando de repente eis que surgem nada mais, nada menos que:
Simom, o vilão estelar e seu amigo bobalhão Morgan.
– Surpresinha!
– Veja só Morgan, ora, ora, o rap da Popucha!
-Ah,ah,ah,ih,ih,ih,oh,oh,oh.
– Vocês ultrapassaram o limite do ridículo.
– Pega aí Morgan, vamos fazer a vaca Popucha de bobona.
– Hei Simon, devolva o nosso cd, vocês não têm o direito de pegar algo que não lhes pertence.
– Oh, jura!
– Que tanto vocês vão a terra suas alienígenas!
– Esse cd vai é para o forno estelar. Aí, escuta só Morgan.
– Ai, ai, ai, ui, ui,ui,a Popucha vai chorar, pois seu lindo cedezinho no forninho vai queimar.
– ih, ih, ih, oh, oh, oh, oba, oba, a Vanjoka é boboca e a Popucha é vaca boba.
– Hei, devolvam o nosso cd.
Disse Vanjoka furiosa.
– Pois não Vanjoka, boboca!
– Ah, ah, ah, ah, ah!
– Vamos Morgan, entra na nave, ta na hora de espichar as canelas.
Vanjoka e Popucha entraram em suas naves e a perseguição começou.
– Popuchinha, usaremos os poderes da medalha mágica.
– “Magia e Ação, poderes em evolução”.
– Que se forme um grande redemoinho.
De repente, a nave de Simon e Morgan, começou a rodopiar, rodopiar, deixando os dois tripulantes atordoadíssimos.
– Muaaal, isso foi demais, parceira toca aqui.
– Plaft!
Mesmo atordoados, os vilões apertaram uma tecla e um grande ímã segurou a Nave do Bem, que ficou presa em um ponto do espaço. Mas Vanjoka a menina super esperta e a vaca Popucha herdaram os poderes da medalha mágica do Mago Shareder, e com um toque de magia e esperteza conseguiram escapar.
Os vilões soltavam várias bombas sobre a nave das amigas, eles conseguiram escapar do redemoinho, mas a nave espatifou-se num meteorito, vários pedaços voaram pelo espaço.
– Oh, não, nosso cd foi destruído! Disse Popucha desconsolada.
– Hei Vanjoka, eles estão fugindo, vamos usar os poderes da medalha mágica.
-“Magia e Ação, poderes em evolução”.
– Que haja no grande pátio com muita água e sabão!
E um enorme pátio muito liso se formou.
Simon, o vilão estelar e seu amigo Morgan caiam e levantavam diante de tanta água e sabão.
A cena era cômica. Eles permaneceram ali caindo e levantando durante algumas horas, até que dormiram abraçados atormentados pelo cansaço.
– Vanjoka, a garota super-esperta salvou o rap em seu micro aparelho, Popucha ficou super feliz e logo entraram em contato com o Mano “Bê”, um amigo que encontraram na última aventura que fizeram a terra.
Tudo combinado, Popucha e Vanjoka se Preparavam para mais uma viagem ao Rio de janeiro.
Mano “Bê” preparava mais um cd para lançar quando foi surpreendido pela visita das suas amigas alienígenas.
– Muaaal que estúdio equipadaço Mano Bê.
– Olá Popuchinha, Vanjoka, como estão, minhas manas intergalácticas?
– Muaaal, criamos uma música para você, Mano Bê, ouve aí, se você gostar é só gravar.
Mano Bê escutou o som e amou.
– Falou manas, é maneraço! Vamos gravar juntos em parceria, ok?
Mano Bê, Vanjoka e Popucha gravaram o rap que ficou… Muaaal, aliás, que ficou sensacional.
As duas ficaram para o lançamento do cd em uma grande Casa Noturna no Rio. Com os poderes da medalha mágica, as amigas ficaram invisíveis para o público, apenas Mano Bê podia observá-las caindo no Rap da Vaca Popucha.
O som estourou nas paradas de sucesso. Mano Bê vendeu muito e uma parte desse dinheiro ele destinou a um projeto social, onde ajudou muitas crianças com deficiências físicas a terem um pouco mais de dignidade.
Vanjoka e Popucha se despediram do Mano Bê e regressaram para o seu planeta, onde já estavam sendo solicitadas, pelo amigo e companheiro de batalha, o Mago Shareder, que também faz parte dessa equipe que trabalha incessantemente pela justiça, em prol do bem e do amor.

Por Vania Taques

Anúncios

Um comentário sobre “O RAP DA VACA POPUCHA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s