CASTLE ROCK – O TERROR DAS PROFUNDEZAS – CAPÍTULO V

Faculdade Castle Rock…

– Milton, posso te pedir um favor?

– Claro Martin diga.

– Se você perceber algo de estranho aqui na faculdade, me avise. E avise para os outros também. Assim vocês vão estar contribuindo em um caso.

– Verdade? Nossa, claro que aviso pode deixar.

– Obrigado, isso é muito importante para que o caso seja rapidamente resolvido.

Martin, a seguir afastou-se para ver se encontrava a criatura. Estava cismado do que vira e com certeza iria impedi-la de cometer atrocidades.

Martin refletiu bastante e chegou a conclusão que a criatura estava se escondendo na faculdade. Ela provavelmente não tinha colocado em prática seu plano pois ninguém ainda tinha desaparecido ou sido encontrado sem vida. Ele estava resoluto em vasculhar a faculdade inteira á noite. Ele pularia os muros e de uma vez por todas encontraria o monstro principalmente porque o mesmo estava em seu reduto: A escuridão.

Três da madrugada…

Um vulto se aproxima do muro esquerdo da faculdade. Joga uma corda especialmente feita para esse tipo de incursão. Facilmente sobe até o topo do muro, porém dá de cara com arame farpado reforçado dividido em sete fios. Nada que seu alicate de fazendeiro não corte. Haverá algum grau de dificuldade apenas pelo número de fios, mas para Martin isso não é nada.

Após o corte dos fios, o detetive mudou a posição da corda e desceu para dentro do campus.

– Pronto. Agora ligarei a lanterna para que possa ver onde ponho os pés. Esta noite não tem lua e está um breu – murmurou.

Martin resolveu então inicialmente vasculhar por dentro dos prédios da faculdade. Resolveu iniciar pelo prédio central.

Depois de vasculhar todos infrutiferamente…

– Mas que tolo eu fui. Essa criatura com certeza está abrigada  na escuridão. Nunca iria ficar em locais com possibilidade de luz.

– É muito estranho também a segurança não estar por aqui. Pensei que ia ter problemas com eles, mas sumiram.

Dizendo isso Martin saiu para a parte externa do campus. Agora estava em campo aberto e teria que ser muito prudente, ou poderia ser atacado pela criatura, isso se fosse apenas uma.

Dirigiu-se então para a parte traseira do prédio central. Já estava quase indo para outro prédio, quando ouviu um barulho como alguém sugando algo. Notou então uma porta aberta no prédio vizinho dentro reinava a mais completa escuridão. Martin aproximou-se e regulou sua lanterna especial à claridade máxima que corresponde à luz bem forte daqueles faróis de milha de automóveis.

– Vou me aproximar da porta e surpreende-lo com a luz.

Quando se aproximou da porta, ao olhar para o escuro, sua visão noturna foi ativada.

Martin quando luta contra seres não convencionais, automaticamente ativa inconscientemente um pacote de poderes, já que é filho de uma mutante com um humano.

Essa visão noturna é um desses poderes, de acordo com que for aparecendo os outros, vamos dando mais informações.

Ao olhar para dentro, Martin visualizou uma cena dantesca.

– Diabos, a criatura está se alimentando, e o pior, é que é de um ser humano. É como eu pensava. É uma das malditas criaturas do negrume, a parte escura do rio Castle Rock.

A fera estava com suas presas inseridas no pescoço da vitima  estando a criatura em êxtase. Quanto mais a criatura bebia o sangue, mais aumentava aquele estado.

O corpo da vitima estava já inerte e totalmente pálido, pela falta de sangue. Quando a criatura retirou as presas do pescoço do homem, pareceu ficar bastante irritada pelo fato do sangue ter acabado e a empurrou o corpo fazendo-o estatelar-se no chão.

Foi quando Martin se fez notar ligando a lanterna no máximo e direcionando a criatura:

– Finalmente depois de dias, te encontrei, criatura bisonha.

As criaturas do fundo do rio tinham a aparência de lagartos de cor marrom do tamanho de homens.

Podiam usar tanto as presas como a cauda para atacar e defender-se. Sua pele era rugosa e dura, o que dificultava a luta de seu adversário.

– Não adianta grunhir nem tentar fugir. Eu quero respostas. O que você está fazendo aqui na faculdade?

Apesar de grunirem bastante, essas criaturas tem grande inteligência.

– Desta vez  seu intrometido, seu povo vai ser subjugado pelo grande Arbost.

– O que Arbost esta tramando dessa vez? – perguntou Martin perplexo.

– Hoje as vilas do Elemental Mestre estarão todas tomadas e ele será aprisionado. Já estamos tomando a parte clara do rio e logo Castle Rock será nossa ahahahahahahahahaha!

– Você sabe que não vai vencer essa luta criatura maldita, então facilite e entregue-se.

– Os guerreiros do grande Arbost, nunca se entregam – murmurou a criatura

–  Então prepare-se para sua destruição!

Martin estava irreconhecível.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Anúncios

2 comentários sobre “CASTLE ROCK – O TERROR DAS PROFUNDEZAS – CAPÍTULO V

  1. Demais! Na verdade, Excelente!! Tô ansioso pra ler o próximo! Martin usará seus poderes contra a criatura???
    De qualquer jeito, espero pelo próximo…

    Fui!

  2. Nessa semana que entra estará on line o capitulo VI, mas provavelmente a história mostrará outra cena, com Injitus ou o Garra. Esta cena continuará somente no capítulo VIII provavelmente.
    Amanhã tem OS DETETIVES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s