ARANHA NEGRA – DEMÔNIOS – PRÓLOGO

A noite é iluminada pela lua cheia. A dama da noite permanece com seu brilho dourado, até que repentinamente nuvens negras assustadoras ameaçam sugar seu esplendor cobrindo-a totalmente.

Um homem revira-se na cama atormentado por um lúgrebe pesadelo que parece não ter mais fim. Um homem caminha pela neblina em uma praça. Postes com luzes no estilo londrino perfilavam-se em seu centro para formar uma passagem onde ao final, estátuas com semblantes aterrorizantes permaneciam imóveis. Repentinamente, as luzes apagam-se  e olhos ameaçadores refletem-se na escuridão.

Um homem aterrorizado solta um grito bem das profundezas de sua garganta, movendo-se de posição, de deitado para sentado. Seu coração bate velozmente enquanto ele devagar se intera de que tudo aquilo não passara de um pesadelo. Mais um pesadelo que o aterroriza desde muitos e muitos anos.

No dia seguinte na Columbo Agency Detectives…

– Esse caso não será seu aracnídeo! – falou um homem de roupas bem modestas com aspecto abobalhado.

– Como não Luc? Foi o próprio capitão quem me deu o caso.

– Você está agora preferindo os casos mais fáceis? – Perguntou Luc com ar parvo.

– Não venha tentar me enganar com suas técnicas baratas. Você sabe muito bem que esse caso é intrincado e eu não desistiria dele por nada neste mundo.

Neste momento entra na sala um homem com fardamento azul com detalhes dourados.

– Vocês já estão discutindo novamente por causa desse caso? – perguntou o capitão com seu frequente ar de seriedade.

– Capitão eu já disse para ele que o caso é meu – falou o detetive Luc Mobo

– Que eu saiba não é você que manda na agência – retrucou o detetive mais estranho da equipe.

De repente toca o telefone do Aranha Negra

– Alô? – falou o mascarado.

– Pietro você precisa vir aqui – falou uma vós na linha.

– Pessoal um momento que já volto.

O Aranha retirou-se para um recinto a prova de som na agencia…

– Julio, eu já falei para você não falar meu nome no telefone.

– Desculpe, mas devido aos acontecimentos de ontem a noite tive que ligar para você com urgência e não me toquei que mencionei seu nome.

– O que deseja?

– Tive um pesadelo diferente ontem e acho que você vai ter que tomar conta deste caso. A análise do pesadelo mostra que você é o único capaz de resolver esse caso.

-Hum…

– E então, posso contar com você?

– Está bem, me aguarde que passarei ai em breve.

Depois, de volta à sala…

– E então Aranha, como vão resolver sobre este caso?

– Capitão, pode dar esse caso para Luc.

– Ué mas você não o queria muito?

– Nem tanto. Não estou acostumado com casos fáceis e esse é fichinha.

E dizendo isso, passou pela porta e saiu.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Anúncios

Um comentário sobre “ARANHA NEGRA – DEMÔNIOS – PRÓLOGO

  1. Fala Alci! Me desculpe, mas ñ consegui ler ontem! Cheio de visita lá em casa!kkkk! Bem, o bagulho tá bem loko pro lado desse cara do pesadelo, hein! É, acabei de perceber que OS DETETIVES também tem seus casos sobrenaturais pra resolver! Grande abraço! Fui!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s