SOBREVIVENTES – CAP. 2

– Então está tudo certo?

– Sim, senhor Claude, mas como chegaremos até o transatlântico? – perguntou Josh fazendo cara de dúvida.

– Josh, já entramos em contato com uma pessoa próxima ao comandante do transatlântico. Teremos sempre que quisermos a localização correta do navio. E vocês ai perto da porta, tudo certo?

-Pode ficar tranqüilo Sr. Claude. Eu e meu parceiro Elroy voltaremos com esse butim, ou não seremos mais a Dupla Infernal – falou Richard, se gabando de suas proezas.

A dupla era altamente conceituada no submundo do crime quando alguém quisesse roubar alguma coisa que tivesse uma grande dificuldade, ou quisesse uma grande quantia em valores, Sempre que alguém quisesse assaltar um banco eles eram requisitados.

Eles também não tinham limites com armas, ou seja, caso não os obedecessem, matavam mesmo, inclusive à queima-roupa.

– E vocês gêmeos? – perguntou finalizando Claude.

– Entendido Chefe, se depender de nós, tudo irá para frente! – exclamou Laffert, um dos gêmeos.

Lafert e Rovert eram gêmeos idênticos. Fanáticos por quadros de artistas famosos, não perdiam uma oportunidade que lhe apareciam para aumentar seu poder econômico roubando esses quadros de exposições, museus e milionários colecionadores desses quadros.

Diferentes dos outros, não eram pessoas que tiravam a vida dos outros. Na verdade eram até boas pessoas, apenas tinham esse vicio.

Mas o que estavam fazendo junto com essas pessoas grotescas? Ambos souberam que havia verdadeiras obras de artes sendo transportadas naquele navio e resolveram que elas fariam o dinheiro em suas contas bancárias aumentarem severamente.

Eles, louros verdadeiros, tinham uma particularidade interessante. Lafert tinha olhos azuis puxado de sua mãe  e Rovert olhos verdes puxados de seu pai.

Na verdade é possível que isso aconteça entre gêmeos de mesma placenta que provavelmente foi o caso deles.

Em uma pequena parada para subir amigos do capitão, todos vestidos com roupas de ricaços providenciadas por Claude, foram acomodados em dois camarotes. Lafert e Rovert ficaram em um quatro separados, pois os outros sabiam que dificilmente eles os trairiam já que vendiam o material que conseguiam como sua parte. Os outros porém resolveram pilhar os camarotes dos ricaços e pegar tudo de valor que encontrassem. Assim, Claude seria mais generoso com eles.

Um dia depois, já no terceiro dia de viagem, os gêmeos foram para o quarto onde estavam os três outros, e foram disponibilizadas espingardas e revolveres, além de roupas e máscaras. Rovert olhou para Laffert e abanou a cabeça negativamente. Laffert respirou fundo, querendo dizer que nada podia fazer.

Resolveram entrar em ação às dezoito horas e cada um foi para uma parte do barco vestido com jaquetas jeans e máscaras de palhaço.

Lafert e Rovert entraram em um corredor bem ao meio e enquanto o primeiro foi para a direita, o outro foi para a esquerda.

Rovert depois de alguns passos pegou o elevador para o andar de baixo. Após entrar no mesmo e fechar a porta pegou a arma ainda travada, um revólver calibre 45 e estendeu o braço para frente para intimidar alguém que fosse entrar.

O elevador desceu e parou no andar de baixo. Apareceu então uma linda mulher de tez bem alva e grandes olhos azuis como de Laffert e cabelos mais negros que petróleo.

Neste momento Rovert colocou o dedo na frente da boca pedindo silêncio. Chamou-a com a outra mão. A mulher fez um semblante desesperado, mas obedeceu. A porta fechou-se e foram para outro andar.

Nisso…

– Richard, cuidado que pode ter alguém à espreita. Sempre tem alguém metido a valente nesses cruzeiros. Temos que neutralizar a sala do capitão para não ser emitido nenhum pedido de socorro – falou Elroy.

– Não se preocupe parceiro, Josh já foi para lá. Vamos entrar naquele quarto que a porta já está aberta.

-É perigoso Richard, pode ter alguém lá dentro.

– Não creio, já a estou observando há alguns minutos e não vi ninguém entrar por aqui.

Minutos depois, dentro do camarote…

– É um camarote duplo Elroy! Veja no chão! Sangue.

– Veja lá na frente. A porta que dá para o segundo camarote está somente encostada.

Caminharam até a porta e quando a empurraram, tiveram uma visão dantesca. Um homem bem despedaçado com a cabeça descolada do corpo apenas preso por resquícios do que fora sua coluna vertebral.

Saíram apressadamente dali, indo para a cabine do capitão. Lá encontraram Josh.

– Você nem sabe o que vimos agora – falou Elroy visivelmente perturbado com a visão que havia tido recentemente.

Richards contou tudo a Josh que disse que isso não interessava, e sim o roubo que vieram fazer. Assim resolveram ir logo ao salão central para pilhar a todos os que se encontravam lá.

– Onde estão os dois gêmeos? – perguntou Josh

– Eles foram para o outro lado – respondeu Elroy.

– Espero que eles se encontrem logo conosco – falou Josh – já enviei um sinal para os piratas que virão nos apanhar. Se eles não estiverem aqui na hora, pior para eles.

– O que vai fazer com o capitão? – perguntou Richard

– Vai ficar ai mesmo. Não vai acordar tão cedo e eu destruí qualquer aparelho que ele pudesse pedir socorro. – falou Josh correndo para fora da cabine

Dez minutos depois, entraram correndo no salão central…

– Todos parados! Viemos tomar um drink – disse Josh

Mas o sangue estava demorando muito para jorrar. Um dos garçons tentou escapar por um elevador de serviço e foi crivado de balas por Josh e logo depois por Elroy que ainda estava tenso pela visão do corpo dilacerado..

 – Acho que vocês não entenderam quando eu disse não se movam, né?

Neste momento, todos que estavam no salão ficaram como petrificados pelo horror da ação.

Neste momento ecoou uma voz nos auto-falantes:

– Senhores passageiros, estamos passando por uma turbulência marítima. Segurem-se.

O capitão havia despertado e o navio havia entrado em um turbilhão de água e agora era sorte.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Anúncios

2 comentários sobre “SOBREVIVENTES – CAP. 2

  1. Uhu!! Tenho que aplaudir de pé! Que demais! Caraca, vc entrou além da história!! Excelente! Espero ansiosamente pelo próximo! Grande abraço! Fui!

  2. Uhu!! Que demais!! Tenho que aplaudir de pé porque foi simplesmente escrito com excelência e maestria!! Caraca foi ultramega show!! Espero ansiosamente pelo próximo!! Fui!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s