INJITUS, O ELEMENTAL MESTRE PARTE 4 DE 6

Os dois já tinham procurado por vários lugares e não conseguiram encontrar nenhuma caverna na floresta.

O poder dos Gnomos daria a Injitus o poder da terra e assim poderia manipular tudo o que se encontra no solo do nosso planeta.

Zhelya era uma Elemental das águas, mas podia ficar na terra desde que se molhasse de tempos em tempos.

Enquanto crianças eram somente amigos, mas na vida ela se tornaria praticamente sua irmã, fato que será mostrado no futuro.

Então como dizia antes os dois já haviam procurado bastante a caverna e nada. Zhelya lembrou-se que tempos atrás tinha ouvido que havia uma bruxa na floresta que levara os aldeões no passado a se suicidarem pulando dentro do rio. A bruxa havia invadido a vila mais próxima à noite e jogado um punhado de terra de magia negra em cada casa da aldeia. Poucos sobraram para contar a história.

O problema é que ela não sabia onde a bruxa morava e com certeza a bruxa saberia onde estava a caverna.

Se ela não os matasse, ainda teriam que ter a sorte da bruxa revelar a localização. Injitus aceitou procurá-la já que tinha 2 poderes e se sentia seguro. Não era 2, poderia se considerar 1 e meio, já que não dominava o ar ainda 100%.

Puseram-se a andar e procurar na floresta e já estavam cansados quando viram uma casa no alto de um penhasco.

Talvez a bruxa morasse ali, disse Injitus para a menina. Como fariam para subir até lá? Talvez usassem os poderes do ar de Injitus. Mas infelizmente ainda não estavam adaptados ao corpo de Injitus.

Como ele era danado, resolveu então tentar e tentou o resto do dia, da tarde e da noite.

Zhélia teve que voltar ao rio para se molhar, então Injitus na manhã seguinte resolveu tentar fazer com que os poderes do ar lhe obedecessem, visto que ainda estava por conta do destino.

Chegou ao pé do penhasco, fechou os olhos concentrando-se e  colocou as mãos para cima e desejou ser elevado até a casa do penhasco. Passaram-se dois minutos, e ao abrir os olhos, Injitus continuava no mesmo lugar. Tornou a fechar os olhos demorou um pouco mais de tempo e sentiu uma pequena flutuação nos pés. Quando abriu os olhos caiu e quase torce o pé.

Foi quando ouviu uma grande gargalhada. Era a bruxa olhando do penhasco para ele. A bruxa perguntou se ele queria ir até lá. Injitus morrendo de medo, disse que precisava falar com ela.

Ela perguntou o que um garoto poderia querer com ela. Ele disse que precisava achar uma caverna na floresta.

A bruxa já maquinando algo, proferiu umas palavras mágicas que o fizeram levitar e subir até a mesma.

Assim, já lá em cima, Injitus explicou mentindo que precisava achar a caverna para pegar um liquido de cura para sua avó que estava doente.

A bruxa então disse que iria pedir algo em troca se assim revelasse o caminho da floresta.

Sem ter alternativa, Injitus aceitou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s