DETETIVE – CAPÍTULO 40

Os detetives se entreolharam assustados.

         ‘’Temos que atravessar a fronteira em direção de Fostion. A polícia terá algumas dificuldades de obter permissões naquela região’’, sugeriu Lucas.

         ‘’Fostion?’’, questionou Bruna. ‘’É o centro da corrupção ali, se nossa cabeça rolar a prêmio, morreremos em Fostion’’

         ‘’Confie em mim’’, garantiu Lucas. ‘’Eu tenho um amigo lá que irá nos ajudar’’

         ‘’Então vamos’’, concordou Jonas pisando no acelerador.

         Pegaram a longa Avenida Dustin, por onde havia mais chances de obter sucesso, apesar de ser mais movimentada.

         A fronteira ainda estava à uma hora de distância, teriam que se esquivar pela estrada de terra que lhes daria acesso rápido a Fostion.

         Thais preparava algumas armas para caso houvesse alguma possibilidade de confronto.

         Mas foi neste momento que se ouviram os sons de sirenes se espalhando pela Avenida.

         ‘’Nos acharam!’’, falou Bruna olhando pela janela. ‘’Acelera Jonas!’’

         O carro alcançou uma velocidade cento e vinte quilômetros enquanto se esquivava perigosamente do movimento da Avenida.

         Porém, para surpresa de Jonas, havia um cruzamento à menos de dez metros.

         ‘’O sinal está vermelho!’’, falou Josafá.

         ‘’Não tem como parar!’’, retrucou Jonas. ‘’É agora ou nunca!’’

         O detetive pisou o pé ainda mais no acelerador fazendo o carro roer o asfalto numa velocidade de cento e quarenta quilômetros.

         Neste momento, um caminhão se aproximou do cruzamento.

         ‘’Merda! Sai!’’, gritou Jonas ainda acelerando.

         Porém era inevitável, a única alternativa seria ultrapassar o caminhão.

         As sirenes estavam mais próximas agora, e os sons eram muito mais que antes.

         ‘’Jonas freia! Não vai dar!’’, exclamou Bruna.

         Mas foi neste instante que o carro passou o cruzamento como o vento na frente do pesado caminhão. No entanto, o carro acabou sendo acertado na traseira pelo caminhão e foi arremessado contra a calçada, enquanto pessoas corriam desesperadas por suas vidas.

         O carro voou contra o vidro de uma loja de brinquedos que por sorte não tinha ninguém.

         Houve silêncio seguido de uma tosse.

         Jonas chutou a porta do seu lado. Havia machucado seu braço esquerdo.

         Ele olhou para dentro e depois abriu a porta de trás.

         Lucas saiu tossindo seguido de Josafá.

         Logo, Bruna e Thais saíram pelo outro lado.

         ‘’Precisamos ir rápido’’, advertiu Jonas tentando abrir o porta-malas.

         Mas um tiro quase pegou na mão do detetive.

         Todos olharam, eram vários carros de polícia cercando o local.

         ‘’Separem-se!’’, gritou Jonas correndo para um lado.

         Os detetives correram cada um para um lado ultrapassando pessoas que estavam na calçada correndo devido o disparo ouvido.

         Miguel saiu de um dos carros em disparada no meio da multidão.

         ‘’Saiam da frente inúteis!’’

         O comandante saiu de outro carro e seguiu em outra direção em meio à multidão.

         Vários carros de polícia cercavam o local. O trânsito parou na mesma hora. Ninguém podia sair dali.

         ***

         Thais corria a longa Avenida em busca de um lugar para se esconder até que a poeira baixasse, mas naquele local só havia lojas.

         A detetive olhou para trás e percebeu o tumulto das pessoas, no entanto, tinha alguém seguindo-a. Era necessário despistar.

         Thais entrou numa loja grande de roupas, onde também havia tumulto, pois o lugar estava cheio.

         Logo, as pessoas foram empurradas violentamente pelo comandante que segurava um revolver. Ele parou em frente à loja olhando para os lados.

         Seus olhos negros brilhavam. Nada podia lhe escapar. Neste momento, ele ergueu sua arma e soltou um disparo.

         ***

         Miguel ouviu o som do disparo e percebeu que o comandante já havia pegado alguém.

         Mas neste momento, ele sentiu uma pancada na cabeça. A escuridão invadiu tudo.

         ‘’Agora vamos’’, disse Bruna olhando para Jonas.

         ‘’Te pegamos desgraçado’’, Jonas pegou-o.

         Ambos rapidamente sumiram no meio da multidão.

CONTINUA…

Por Naor Willians

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s