DETETIVE – CAPÍTULO 52

Jonas ouviu passos pararem diante da porta à sua frente. Não tinha outra chance, agora era matar ou morrer.
A maçaneta se moveu lentamente.
Entretanto, para surpresa do detetive uma voz soou alta no corredor.
” Se protejam galera!”
Jonas reconheceu a voz de Lucas e saltou para o canto da parede se mantendo abaixo.
Naquele momento, a porta explodiu juntamente com os homens que tentaram abrí-la.
”Só pode ser um milagre…”, murmurou Jonas passando a mão sobre o rosto.
***
Bruna ainda olhava atordoada o homem despedaçado à sua frente. Ele e os outros tinham voado estraçalhados por causa da bomba de Lucas.
Entretanto, neste momento, uma mão agarrou os cabelos dela e a detetive foi arremessada contra a parede.
Thais rolou enxergando Gabriel.
O rapaz avançou contra ela. Thais puxou o gatilho, mas infelizmente, as balas haviam acabado.
Gabriel arrancou a metralhadora das mãos dela e desferiu um soco violento no abdomên da garota. Depois, usou a metralhadora e acertou-a no rosto.
Sem descanso, ele levantou a metralhadora afim de espacá-la, porém, Bruna se chocou contra ele neste momento derrubando-o.
A dor na perna pareceu queimar forte e a detetive gritou de dor.
Gabriel se levantou furioso e a chutou.
Mas então, um soco o atingiu. E outros dois consecutivamente. Ele recuou. Viu Lucas à sua frente.
Sem hesitar, o detetive pulou sobre ele. No entanto, rapidamente, Gabriel alcançou um pedaço de madeira e desferiu um ataque no rosto de Lucas que caiu atordoado no chão.
Em fúria, o senador começou a bater no detetive com o pedaço de madeira. Só então, ele ouviu o barulho do gatilho à sua retaguarda.
”Parado ou atiro!”, vociferou Jonas segurando um revolver nas mãos.
Gabriel largou o pedaço de madeira e começou a rir.
”Atirar? Você?”, disse ele com sarcasmo. ”Você é um fracasso. Não lembra do que todos diziam à seu respeito. Na verdade, eu nem sei como você conseguiu adentrar nesta carreira de detetive”
”Irmão, você precisa de ajuda”, sugeriu Jonas. ”Deixe-me ajudá-lo”
”Eu não preciso da ajuda de ninguém! Eu mesmo sou auto-suficiente!”
”Se é assim, você não me deixa outra opção”, lamentou Jonas apontando o revolver.
Houve um silêncio remoto por alguns segundos, enquanto Gabriel caminhava lentamente na direção do detetive imóvel em frente à porta destruida.
”Atire”, ordenou ele quando parou de frente para Jonas. ”Vamos! Atire!”
Entretanto, o detetive fechou os olhos.
Num rápido movimento, Gabriel tomou-lhe o revolver e chutou-o.
Jonas caiu no chão surpreendido.
”Eu sempre serei melhor do que você!”
Dizendo isto, Gabriel apertou o gatilho. Ele respirou fundo até perceber que nenhum disparo saíra do revolver.
Sem entender, o atormentado rapaz começou a apertar o gatilho incontrolavelmente.
”Hé!hé!hé!”, riu Jonas. ”Está sem balas”
Antes que Gabriel fosse rápido o bastante para notar, Jonas pulou sobre e o virou contra a parede algemando-o.
”Não quero você morto”, admitiu Jonas. ”Você precisa pagar aqui na terra pelo sangue das pessoas que matou”
Os outros detetives olhavam impressionados.
Jonas arremessou Gabriel no chão e correu ao encontro de seus amigos e todos se abraçaram.
Lágrimas correram pelo rosto de Bruna e Thais.
”A polícia está vindo ai”, declarou Lucas. ”Eu rolei escada abaixo de próposito para ficar livre da atenção de Gabriel e liguei para a polícia”
”Graças a Deus!”, suspirou Bruna. ”É o fim…”
”É o fim pra vocês”
Os detetives se viraram sem acreditar no que viam. Gabriel estava com o pulso esquerdo quebrado e com um revolver na mão direita.
”Você está em desvantagem”, criticou Jonas se levantando. ”Se atirar, os outros atirarão em você”
Gabriel soltou uma gargalhada.
”Só me interessa acabar com você, meu querido irmãozinho”, Gabriel engatilhou a arma.
”Jonas!”, chamou Bruna. ”Eteloc?”
O detetive olhou-a espantado. Rapidamente compreendeu o plano de sua amiga. Ele acenou com a cabeça positivamente.
”Atira Thais!”, gritou Bruna se jogando no chão.
Sem hesitar, Thais disparou duas vezes contra Gabriel, que também disparou contra Jonas no mesmo momento.
Os dois caíram no chão.
Lucas correu até Gabriel e viu dois buracos no peito dele, embora estivesse desmaiado, ainda estava vivo.
Bruna e Thais se aproximaram de Jonas que também havia sido atingido por dois tiros no ombro e próximo ao abdomên.
”O que quer dizer Eteloc?”, questionou Thais apreensiva.
Bruna sorriu.
”Quer dizer colete ao contrário”, explicou.
Naquele instante, Jonas acordou suspirando rápido. Viu suas amigas sorrindo e chorando ao mesmo tempo.
O som da sirene da polícia soou perto do local. Entretanto, mais que isso, finalmente a luta dos detetives havia terminado.

Dia 7 de Setembro.

Hoje se comemora a independência do Brasil. No literal, podemos dizer que independência significa liberdade. E, hoje, um ano depois dos terríveis acontecimentos que nos cercaram, podemos dizer que estamos livres.

Gabriel foi julgado juntamente com Cláudio e seus capangas. Foram condenados à prisão perpetua sem condicional e sem fiança. Sentimos um grande alívio quando o vimos sendo levado por um carro policial. Há quem diga que seu egoísmo custou caro na prisão, o noticiário de ontem informou que ele perdeu um dos olhos… não tenho nada a comentar sobre isso.

Nossos amigos detetives foram enterrados com dignidade e honra como deveria ser. Embora isso seja compensador, nada supera a falta que eles fazem, nada supera a dor que ficou sem cura… entretanto, somos uma família agora e procuramos, com os poucos membros que restaram preencher o vazio que ficou.

Hoje também fazemos um ano como agentes da segurança nacional. O próprio prefeito nos nomeou, como ele mesmo disse em seu discurso, nós evitamos uma rebelião contra a nação. E, embora, tenhamos procurado se aposentar, acabamos por concordar que podemos cooperar na segurança de nossa nação, afinal, se ela cai em mãos erradas, nós também iremos pagar por isso.

Agora, entretanto, depois de um ano de sossego e paz, um espião trouxe informações sobre uma nova ameaça. As informações foram poucas, porém, eram o bastante pra sabermos que se trata de uma conspiração de terroristas. Parece que estão elaborando um vírus mortal que se espalha pelo ar.

Nós estamos à caminho de uma das bases deles, onde pretendemos conseguir mais informações e impedir a conclusão deste vírus.

O que posso dizer? Estou empolgado.

Você pode até dizer que estou me arriscando novamente, sendo que, já escapei da morte mais de cinco vezes. No entanto, cada vez que volto para vida, vejo como é importante aproveitar cada segundo, cada momento. E este é o meu jeito de aproveitar.

CONCLUI A SEGUIR…

Por Naor Willians

OBS:Esta parte compreende o ultimo capítulo e o relato final ORIGINAIS de  Detetive

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s