PINÓCCHIO E OS CONTOS DE FADAS – BAMBOLA DI LEGNO – CAPÍTULO 01

CBR-PCF-BDL-C01-(20/07/2012)

– E então rapazes? Entenderam a parte básica?

– Sim, seu Gepeto. O Sr. Explica muito bem e demonstra do mesmo jeito – falou um rapaz que estava em uma das cadeiras da oficina de aula.

– Eu tive uma grande idéia que vai fazer com que cada um de vocês tenha um bom aprendizado.

Faremos um projeto  de construção de um boneco de madeira. Esse trabalho será feito em equipes de cinco. Cada equipe terá como obrigação de entregar uma parte dele. Esse trabalho valerá nota. Eu observarei o produto final e verei se está bem construído ou precisa melhorar. Esse projeto já será metade da prova. Começaremos amanhã, então preparem-se. Estão liberados por hoje.

Uma hora depois, em outro lugar…

– Chegamos Musgo. Agora é com você – falou Humbet depositando toda sua confiança no assecla.

– Pare com isso Musgo. Se ficar pensando muito, vai acabar estragando tudo. Vá confiante e veja como você consegue. Faça da forma que lhe falei.

– Sim, Mestre, você está certo.

Dizendo isso, o rapaz partiu em sua jornada. Ele teria que cumprir uma tarefa  que detestava, pois tinha pena das fadas.

– Musgo ficarei aqui fora da Cidade das Fadas. , pois aqui não serei detectado. Agora vá.

Musgo caminhou por quinze minutos  até chegar em um portal invisível, mas que ele podia ver devido a seu sangue mágico correr em sua veias. Agora era só atravessar o portal e chegar no mundo das fadas.

Collodi meia hora antes…

Um ser gracioso, brilhante e colorido apareceu repentinamente no bosque de Collodi.

– Tenho que identificar onde será  a origem do novo conto de fadas, pois nesse, eu serei a fada madrinha. Agora em qual lar?  Tenho que prestar atenção  nas pessoas na rua e ver se acho o brilho que indicará ser participante do conto. Quando eu ver o brilho, automaticamente saberei qual o meu objetivo.

A fada voou até a cidade e mudou para um visual humano. Agora ela não iria voar para não levantar suspeitas. Andou quase toda a cidade á procura da pessoa participante do conto de fadas e já estava desistindo de procurar naquele dia quando notou a longe uma forma humana brilhando. Era um brilho característico das pessoas que formariam o novo conto de fadas.

Aproximou-se ainda sem falar com o homem, pois somente poderia fazer contato quando o conto tivesse começado e o brilho ficasse mais forte.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s