CASA DO TERROR – A 13ª REUNIÃO – CAPÍTULO 06

No dia seguinte, na casa de Ruth, o telefone toca incansavelmente…

– Alô?

– Quem fala?

– É Ruth. Deseja falar com quem?

– Aqui é o detetive Perry. É amiga do Sr. Bem Faraday?

– Sim, aconteceu algo?

– Ele sofreu um acidente. O carro dele saiu da estrada e bateu em uma árvore.

– Bateu? Ele está ferido?

– Não ele não está mais vivo. Foi instantâneo.

Ruth sentiu um calafrio e perguntou:

– Como conseguiu meu telefone?

– Estava escrito na mão dele. Sabe como contatar um parente?

– Lamento, mas não sei.

E dizendo isso desligou. Ficou olhando um tempo na janela distantemente.

No enterro várias pessoas chorando acompanhavam o caixão fechado. Mais tarde quando havia sido tudo finalizado, Ruth ia entrando em seu carro quando alguém perguntou:

– Com licença, é jornalista?

– Sim.

– Podemos conversar?

– Sobre o que?

– Não aqui, mais tarde em um lugar discreto.

Ruth tirou um cartão do bolso e deu para o rapaz todo vestido de preto. Uma hora depois encontraram-se na casa da moça.

– Antes que diga algo mais, Andrew, saiba que trabalho no caderno feminino. Histórias de funerais não atraem as mulheres.

– Não importa, preciso falar com alguém sobre isso.

– Ok então sou toda ouvidos.

– O homem que morreu era seu parente ou amigo?

– Amigo.

– Ele era grande ou gordo?

– Você cuidou do funeral, deve ter visto.

– Não, eles não me deixaram.

– Quem não lhe deixaram?

– Os chefões Basil e Cedrick

– Estranho, porque eles fariam isso?

– Eles queriam vestir pessoalmente este corpo.

– Mas essa é a sua função?

– Exatamente. Havia outro que se aposentou, agora sou só eu.

– Espere aí deixe-me analisar. Você não viu o corpo, como sabe que ele era gordo?

– Eu ouvi ele falando. Cedrick disse que outro corpo chegaria.

– Outro gordo?

– Isso mesmo. Isso me fez pensar que foi a mesma coisa que aconteceu seis meses atrás.

– Não o deixaram ver o corpo?

– Não, mas eu vi. Entrei na câmara refrigerada.

– Nossa, porque fez isso?

– Sei lá. Pensei que tinha sido alguém famoso. Alguém que não deveria estar morto.

– E era?

– Não, era apenas um gordo comum. Parecia ter se acidentado.

– E daí? Dois gordos mortos em dois acidentes em um período de seis meses. Não há motivos para se preocupar.

Continua…
 Esta obra é baseada na série de televisão “Hammer House of Horror” de Anthony Read. Episódio: The Thirteenth Reunion.

Por Alci Santos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s