CASA DO TERROR – A 13ª REUNIÃO – CAPÍTULO 15

– Aqui está seu champagne Sta. Ruth. À sua saúde!

– Saúde!

O homem pediu licença e se afastou para longe. Ruth procurou a mulher com quem conversara, mas ela havia se afastado. Olhou em volta e a localizou alguns passos à frente sentada no braço de um dos sofás com uma taça de champagne nas mãos. Ruth se aproximou e a mulher foi logo abrindo a boca:

– É um anfitrião perfeito. Educação perfeita e atraente também. Um viúvo bonito é um grande partido.

– Há quanto tempo o conhece? – questionou Ruth sorrindo.

– Há mais ou menos um ano.

– E onde o conheceu?

– No avião, como todos os outros.

– Estavam todos no mesmo avião?

– Sim querida, de Londres até Marrakesh

– Marrakesh? Daquele avião que…

A mulher não deixou Ruth terminar e disse:

– Sim, aquele que bateu nas montanhas. Somos os únicos sobreviventes.

Ruth olhou o ambiente com as  pessoas sorrindo e “se tocou”:

– Isso é uma reunião?

– Claro que sim. Nós nos encontramos todos os meses. Essa é a Décima terceira.

– Porque esses encontros mensais? Não seria uma experiência para querer esquecer? – perguntou a moça intrigada.

– Na verdade queremos lembrar os demais. Os passageiros que morreram. Como o meu marido por exemplo. Ele estava na poltrona do meu lado e eu só sofri uns arranhões enquanto ele não teve a mesma sorte.

– Você teve sorte. Quanto tempo demoraram a encontrá-la?

– Duas semanas e meia

– Incrível. O jornal disse que foi um milagre. Tinham desistido de achar alguém vivo.

– Eles não deviam ter desistido. É incrível o que fazemos em situações extremas – disse a mulher com semblante sério.

– Como?

– As coisas que fazemos.

Ruth estranhou a frase e pensando um pouco, ia perguntar algo quando o mordomo apareceu batendo em um gongo e disse:

– Senhoras e senhores, o jantar está servido.

Minutos depois, á mesa…

– Lamento pela sua esposa, Luciano. Ela morreu rápido, foi uma bênção – expressou-se o Sr. Humphrey, o anfitrião.

– Ela sofria muito, viver só prolongaria a dor.

O Sr. Humphrey continuou:

– Quando perdi minha esposa, meu consolo foi que a morte foi instantânea.

Ruth que observava meio assustada a conversa, perguntou:

– O que aconteceu a ela?

– Caiu do cavalo. Tínhamos uma égua imprevisível. Ela achava que podia domá-la, mas não deu.

A mulher que antes conversara com Ruth perguntou:

– E pensa em casar-se novamente?

– Eu pensei, mas na minha idade tenho certos hábitos que é difícil achar alguém que se adapte.

– E você Ruth, é casada? – perguntou a mulher curiosa.

– Não senhora. Eu trabalho muito  e é difícil achar um homem que se adapte.

Dizendo isso o anfitrião riu e tomou uma taça de champagne. O Sr. Rothwell tomou a palavra:

– Ruth, você e Humphrey poderiam se unir.

O Sr. Humphrey sorriu e disse:

– Não creio que nossos gostos coincidam.

Continua…

Esta obra é baseada na série de televisão “Hammer House of Horror” de Anthony Read. Episódio: The Thirteenth Reunion.

Por Alci Santos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s