XANADÚ – CAPÍTULO 2


– Está bem L-ROM, vamos.

O robô que tinha um pequeno foguete nas costas, pousou em cima da mesa. Myran estendeu a mão e num impulso, o mesmo caiu bem na palma.depois em um outro pulo, jogou-se dentro do bolso do uniforme do centro que o professor vestia.

Myran saiu e fechou a porta.

Minutos depois…

O professou estacionou o seu carro e caminhou na direção do Centro.

– Olhem, lá vem o professor – disse um aluno apontando o dedo.

– Pessoal organizem-se em fila.

Os alunos todos se mobilizaram e entraram no Centro com o professor.

Myran chegou até o cocal onde estava Tamryn e pediu as chaves e prontamente foi atendido.

Saiu então de perto dela direcionando os alunos para um imenso elevador. Os rapazes entraram e oito andares depois desceram.

O professor os acompanhou até a sala de controle e observação.

– Escutem, vou dizer apenas uma vez para vocês. Quando estiverem lá dentro, não toquem em nada, principalmente em algo que pareça um ciclone de fogo em miniatura.

Um dos alunos curioso diz:

– Não sabia que existia ciclone feito de fogo.

– Vamos, lá dentro eu explico.

Entraram em uma sala imensa onde continham os mais diversos aparelhos e máquinas de controle de energia.

Bem no centro da sala em recipientes próprios para mantê-los aprisionados estavam cinco bolas de fogo circulando em volta de si.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Esta minissérie se passa antes dos últimos acontecimentos em C.H.I.L.D.

XANADÚ – CAPÍTULO 1


Centro de Observação Universal – COU em Xanadú…

– Isso não está constando em minha relação senhor.

– Tamryn, como pode uma turma de acadêmicos estar esperando visitação aqui em nosso centro sem ter agendamento?

– Não tenho idéia senhor. Talvez o Professor Myran tenha algo a ver com isso, de vez em quando ele traz suas turmas para visitação sem aviso e sem registro.

– Tamryn, ligue para ele agora!

A mulher, já nervosa pela pressão, fez a ligação imediatamente.

– Aqui está senhor – disse ela apontando para um telão imenso na parede.

– Myran?

– Observador Mestre? Em que posso ajudá-lo, senhor?

– Foi você que enviou esses acadêmicos que estão aqui em nossa porta fazendo bagunça?

– Foi sim senhor, eles farão parte de uma aula expositiva onde mostrarei nosso centro de controle para eles.

– E porque você, não marca como qualquer um outro?

– Perdão senhor, mas infelizmente não tive tempo e o senhor sabe que não estou autorizado a marcar por telefone, apesar de eu trabalhar no centro.

– Faça favor de marcar da próxima vez ou sofrerá a punição adequada.

– Sim senhor.

Quando a ligação foi encerrada, o professor jogou os olhos para cima dando um suspiro.

De repente um pequeno robô de aproximadamente 24 cm apareceu voando e disse:

– Mestre, está na hora de sair para dar aulas.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Esta minissérie se passa antes dos últimos acontecimentos em C.H.I.L.D.

XANADÚ – PRÓLOGO


Xanadú é uma cidade mágica.

Tudo nela se combina para obter o equilíbrio da energia cósmica.

As pessoas que vivem na cidade são imortais enquanto estiverem dentro de sua área circular que é fechada por um domo.

Á noite as estrelas brilham como luzes de neón.

Apesar de toda sua beleza, Xanadú tem guardado desde sua criação todas as matrizes de energia universal desde o início dos tempos.

CONTINUA…

Por Alci Santos

Esta minissérie se passa antes dos últimos acontecimentos em C.H.I.L.D.

PETIT – OCTÓPUS – EPÍLOGO


Quarto de hotel do capitão Frank e Petit…

– Finalmente consegui um tempo sozinho. Tenho que ligar agora.

O capitão pegou o telefone e ligou para uma linha irrastreável…

– Alô? E aí como está nosso homem?

– Está como ordenado senhor.

– Ótimo mantenha-o em forma porque ele é muito importante para termos êxito nesta missão.

– Sim senhor.

Ouvindo isso, o capitão desligou e pensou alto:

– Finalmente terei a chance de torturar aquele desgraçado do PETIT e quando ele estiver bem por baixo, eu vou destruí-lo mandando-o para o outro mundo, ou não merecerei o cargo que exerço de EXCELENTÍSSIMO CHEFE SUPREMO DA OCTÓPUS.

FIM…POR ENQUANTO.

Por Alci Santos

OS FATOS DESTE EPÍLOGO OCORRERAM ENTRE HANK E ARANHA NEGRA PUBLICADOS NO BLOG LBN DE NAÔR WILLIANS

SUGIRO QUE LEIAM XANADU QUE SERÁ PUBLICADO NESTE BLOG A PARTIR DA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA. NESTA MINISSÉRIE VOCÊ SABERÁ FATOS IMPORTANTES SOBRE O “EVENTO” E SABERÁ DA VERDADE SOBRE O QUE ACONTECEU NO FINAL DE C.H.I.L.D. ATÉ LÁ!

PETIT – OCTÓPUS – CAPÍTULO 10


– Desculpe fazê-lo passar por isso capitão, mas era necessário.

– Petit, você é meu amigo pessoal e a única pessoa a quem confio 100%. Sou um capitão do e exército e se eu quisesse, já estaria fora daqui, mas sei que o que faz é para minha segurança, e muito bem feito, diga-se de passagem, então prefiro seguir sua intuição.

Em outro lugar, longe dali…

– Não entendo porque o EXCELENTÍSSIMO não dá cabo deste homem logo.

– Na verdade ele só vai servir de moeda de troca para ter o verdadeiro inimigo aqui. Portanto trate de alimentá-lo corretamente e tratá-lo muito bem, porque se não fizer isso, o próprio EXCELENTÍSSIMO virá atrás de você para matá-lo e jogar o seu corpo para a criação de porcos dele.

No dia seguinte…

– Petit viemos de volta neste hotel apenas para pegar nossas coisas. Fale com o recepcionista sobre o que ele viu aqui ontem, que pego nossa bagagem no quarto.

– Certo capitão Frank.

E dizendo isso o capitão subiu até o quarto. Petit já ia conversar com o recepcionista quando seu celular tocou…

– Petit falando.

– Petit, você é o capitão precisam vir aqui imediatamente.

– Quem fala? Essa voz… Luc? O que aconteceu?

– A nossa agência sumiu e o pior que a culpa é minha.

CONCLUI A SEGUIR…

Por Alci Santos

OS FATOS DESTE CAPÍTULO OCORRERAM ENTRE HANK E ARANHA NEGRA PUBLICADOS NO BLOG LBN DE NAÔR WILLIANS

PETIT – OCTÓPUS – CAPÍTULO 9


O médico acompanhou o capitão Frank até o consultório. Quando entraram, o capitão Frank procurou Petit em todo o consultório, e não o encontrando disse ao médico:

– Você está de brincadeira comigo? Onde está meu amigo?

Neste momento para surpresa do capitão, o médico deu um puxão no próprio cabelo fazendo uma mascara ser retirada de sua cabeça.

O capitão então surpreso disse:

– Petit?

– Calma capitão, o médico está vindo, deixe-me trocar essas roupas.

Minutos depois o médico verdadeiro chega.

– Olá senhores, meu nome é Jansen, em que posso ajudar?

– Eu sou o capitão Frank do exercito dos Estados Unidos da América e preciso ser medicado de uma pancada que levei na cabeça.

O médico aproximou-se e viu um grande galo na cabeça do lado direito traseiro.

– Senhor a que horas ocorreu isso?

– Foi mais ou menos uma hora e meia atrás

– É melhor o senhor ficar de repouso até amanhã. Precisa ficar em observação.

– Sinto muito, mas temos muito a fazer.

Petit resolveu então aconselhar o capitão:

– Capitão, não vai adiantar nada nós sairmos agora, a polícia está coletando pistas no hotel. Eu lhe acompanho aqui até amanhã.

O médico prescreveu uma receita e acompanhou os dois até um apartamento.

Após o médico sair, Petit falou:

CONTINUA…

Por Alci Santos

OS FATOS DESTE CAPÍTULO OCORRERAM ENTRE HANK E ARANHA NEGRA PUBLICADOS NO BLOG LBN DE NAÔR WILLIANS

PETIT – OCTÓPUS – CAPÍTULO 8


Apesar de saber que o capitão estava com a razão, Petit estranhou o fato do mesmo dizer aquilo.O capitão jamais tinha se referido dessa forma à organização criminosa.

Petit escorou o capitão Frank nos ombros e o levou para fora dali.

A administração do hotel chamou a polícia, mas nessa hora, Petit e o capitão já estavam em um hospital.

– Sinto muito, mas o senhor vai ter que esperar como todos os outros.

– Enfermeira, isso é um caso de urgência – disse Petit argumentando com a mesma.

– Senhor, todos são casos que inspiram cuidados, não pode passar a frente.

O capitão com dores, disse:

– Petit deixe eu mostrar minha identidade pra ela.

– Não capitão, é perigoso demais. Não sabemos se há alguém do Octópus aqui. Me aguarde aqui enquanto vou ver se acho um médico.

Dizendo isso, Petit afastou-se e dez minutos depois…

– Enfermeira, fui informado por um rapaz que em uma situação grave você não permitiu atendimento prioritário.

– Doutor Jansen, eles queriam passar a frente e isso não é justo com os outros.

– Não queremos que eles façam confusão, pois sabemos que nosso hospital está com casos na justiça. Pode deixar que vou atende-lo.

Dizendo isso, o doutor Jansen se aproximou do capitão Frank.

– Vamos? O senhor  vai ser atendido agora.

– Onde está o moço que estava comigo?

– Ele está aguardando em meu consultório. Desculpe as enfermeiras de nosso hospital senhor, elas são muito chatas mesmo.

CONTINUA…

Por Alci Santos

OS FATOS DESTE CAPÍTULO OCORRERAM ENTRE HANK E ARANHA NEGRA PUBLICADOS NO BLOG LBN DE NAÔR WILLIANS