FELIZ ANO NOVO


Finda mais um ano
Ficam boas recordações
Renove as esperanças
Esqueça os traumas e decepções

Quebrante o coração
A partir de hoje é dia de recomeçar
Faça o bem, libere o perdão
Se entregue totalmente a Deus
Deixe o Altíssimo te usar
Como instrumento em suas mãos

Nesta nova etapa, pense nos sonhos
Na família, e nas outras pessoas
que fazem parte da tua vida;
Nos excluídos da sociedade
Que sentem frio e passam fome

Conquiste novas amizades
Conte sempre comigo
Se precisar do meu abraço
De um ombro amigo

Reflita sobre a história de Jesus Cristo
Obedeça ao criador do universo
Torne-se jovem em espírito
Renuncie este mundo perverso

Acredite mais em ti, lhe desejo tudo de bom
Paz, felicidades e sucessos
lute pelos seus ideais, conclua projetos
Feliz ano novo, todos nós temos méritos

Por Sidney Alves das Virgens

Um feliz 2016 para todos. São os votos de Alci Santos, editor e coordenador deste blog.

Ó PATRIA AMADA


Ó pátria amada,
Diga-me, quem ainda te ama?
O povo heróico ama o dinheiro,
O brado que retumba reclama

E me diga, ó liberdade,
O que brilha no meu céu,
A mancha das falsidades?
Meu brilho hoje está ao léu.

Quem conquista com braço forte?
Os governantes não governam.
E o povo vai pela sorte,
Ó pátria amada, quem ama?

De tanta esperança, a terra desceu,
E hoje estamos num mundo moderno,
Desce terra, desce!
E hoje descemos ao inferno!

Salve! Me Salve Pátria amada,
O Sol da liberdade é frio,
cadê os risonhos, lindos campos?
Só vejo terrenos Baldios.

Terra adorada,
Entre outras mil,
Muito obrigado,
Por NADA Brasil!

Por Fagner Ricardo

CLARA


Não sabes, Clara, que pena
Eu teria se – morena
Tu fosses em vez de clara!
Talvez… Quem sabe?… não digo…
Mas refletindo comigo
Talvez nem tanto te amara!

A tua cor é mimosa,
Brilha mais da face a rosa,
Tem mais graça a boca breve.
O teu sorriso é delírio…
És alva da cor do lírio,
És clara da cor da neve!

A morena é predileta,
mas a clara é do poeta:
Assim se pintam arcanjos.
Qualquer, encantos encerra,
Mas a morena é da terra
Enquanto a clara é dos anjos!

Mulher morena é ardente:
Prende o amante demente
Nos fios do seu cabelo;
– A clara é sempre mais fria,
Mas dá-me licença um dia
Que eu vou arder no teu gelo!

A cor morena é bonita,
Mas nada, nada te imita
Nem mesmo sequer de leve.
– O teu sorriso é delírio…
És alva da cor do lírio,
És clara da cor da neve!

Por Casimiro de Abreu

QUEM TEVE A IDÉIA DE CORTAR O TEMPO


Cortar o tempo

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.

Por Carlos Drummond de Andrade

LONGE


Senti tua falta quando a lua veio
E a relva enfeitiçada lhe saudou!
O orvalho sobre o verde se deitou
E eu vi que a lua tem o teu enleio…
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Os raios que prateiam meu vagueio
Trazem-me tua lembrança que ficou,
Quando a mim vinhas solta e sem rodeio…
Aumentam minhas ânsias aonde vou!
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Igual à lua, luzes em minh’alma,
A me trazer o bem da tua calma,
Mesmo que longe estejas tu, assim…
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Não vejo, a olhar em volta, uma vivalma…
Só a lua ali tão branca, qual um talma,
A vigiar a dor dentro de mim!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Por Ineifran Varão

A GAROTA COM OS OLHOS CASTANHOS


Hoje senti medo
Medo de te perder
Hoje vi o céu escuro
Era o medo de não te ver
Hoje a angustia tomou conta de mim
E eu comecei a não ter vontade de existir
Então parei e perguntei
Por que estou assim?
Logo a lembrança veio à mim
Lembrança do pesadelo que tive
Pesadelo onde eu perdia você
Onde perdia a vontade de viver
Onde o medo parecia prevalecer
Onde a dor começava a me corroer
E a vida aos poucos desfalecer
Compreendi que não havia graça na vida sem você
Compreendi que não podia mais viver
E no final do pesadelo
A minha decisão mais inconsequente
Veio transparecer
Pois num enorme precipício eu quis morrer
Não posso te perder por nenhum segundo
Você é a razão de eu me levantar
De eu respirar, de eu existir
Meu medo ainda gela minha espinha
Mas a sensação de sua presença
Vence meu medo e faz crescer o amor
Novamente compreendi que não somente gosto de você
O medo me fez entender
Que eu te amo demais
Eu não vivo sem você.

Por Naôr Willians

SONETO À MINHA PÁTRIA


Olha, veja os arredores; quantas

São as nossas maravilhas;

Somos desta terra filhos e filhas,

Que no porvir será mãe de tantas.

Cantarás esta terra? Então cantas?!

Defendes os que lhe abriram as trilhas;

Faças das cores da flâmula mantilhas;

Durmas num regaço alcatifado em plantas.

Que tamanhas belezas há nesta terra.

– Veja de serra a serra.

– Confira de ponta a ponta.

São tantas que não se tem conta.

Oh! Pátria sempre pronta:

– Armada à paz, indefesa à guerra.

Por Luciano Barbosa