NAS TUAS MÃOS


The Caring HandNas tuas mãos pousa o poder para mudar o mundo.
O poder para curar os doentes, os solitários e os tristes.
A gentileza para transmitir amor e acariciar.
A força para mover montanhas e a dor de todos os corações.
Nas tuas mãos pousam os segredos desta e de muitas outras vidas.
Os segredos do todo, do uno, da unicidade que somos nós.
Nas tuas mãos não existem impossibilidades. Pois que tudo pode ser alcançado.
Nas mãos de uma esposa, de uma criança, de um homem. Nas mãos encontrarás amor. Com um toque da tua mão não necessitas dizer uma palavra. Através da voz do silêncio, tudo aquilo que proferires será claramente entendido e ouvido. As mãos do coração, as mãos da alma. As tuas mãos permitirão que eles te conheçam, deixarão tua mensagem se desenrolar.
 Nossas mãos são ferramentas poderosas, a utilizar com cuidado e atenção. Devem ser utilizadas de forma sábia para atingir todos nossos objetivos. Coloca as tuas mãos sobre a tua testa e sente a sua terna energia a libertar os bloqueios da tua mente. Coloca as tuas tenras mãos sobre a garganta e sente as palavras a surgirem em abundância. As tuas mãos sobre o ventre farão com que ele comece a rugir para recuperar o controle. As tuas mãos são poderosas curadoras desde que decidas que é isso que pretendes atingir. Agarra no teu poder, escolhe os teus métodos, segue os teus sonhos e utiliza-os sabiamente. Persegue esses objetivos e atreva-se a mudar o mundo.

 Em luz e amor,

O VINGADOR NEGRO – O BRILHO DA GANÂNCIA – EPÍLOGO


Dois dias depois…
– Aqui está a sua parte Gabriel.
– Obrigado Jeff, agora a mina é toda sua.
– Os rapazes vão ter muito trabalho para tirar todas aquelas pedras que fecharam as galerias principais, mas com a entrada que você mencionou deve facilitar mais. Porque não fica mais um tempo?
– Bem que eu gostaria, mas tenho que cuidar do meu rancho. Espero um dia revê-lo. Se passar por Austin, será muito bem-vindo.
E dizendo isso deu um forte abraço em Jeff, que perguntou:
– Você não é o Vingador Negro, é?
– Gabriel olhou para Jeff e sorriu. Abriu a porta, saiu, pegou seu cavalo na estrebaria e partiu para Austin.

 ATÉ A PRÓXIMA TEMPORADA!

Por Alci Santos

HANK – SEM SAÍDA – EPÍLOGO


Em relação a suas investigações, também será acusado de tentativa de homicídio, por ter atirado no detetive e outras duas pessoas que o acompanhavam. O detetive conseguiu a placa do seu carro. Temos várias provas e testemunhos. Sabemos que estava se preparando para fugir do país.
Léo que tinha acompanhado Hank finalmente conseguiu provar o pai inocente.
Dias Depois…
– Finalmente pai, você pode sair dessa gaiola maldita. – disse Léo que tinha ido busca-lo na frente do presídio junto com Hank.
– E ai Valdir, ainda me reconhece?
– Hank, mas que felicidade em encontrar você.
– Não nos vimos desde o tempo da escola, somente falamos por telefone. Quando seu filho falou comigo, vim imediatamente. Graças a Deus resolvemos tudo.
– Eu não sei como agradecer – disse Léo emocionado.
– Simplesmente me ligue de vez em quando para jogar conversa fora.
E todos caíram na gargalhada.
– Quando chegaram em casa, Lívia o recebeu com um grande beijo. E lá o esperavam vários amigos.
Dois dias depois Hank pegou um Navio e voltou a agência de detetives nos EUA.

Por Alci Santos

O VINGADOR NEGRO – O BRILHO DA GANÂNCIA – CAPÍTULO 08


– Sou sócio de Jeff nesta empreitada, mas ficarei por pouco tempo, em breve estarei voltando para Austin.
– Bom se não se importam, poderemos falar com os trabalhadores?
– Claro, vou chamar inclusive o homem em questão.
Minutos depois, na frente da mina…
– Ele não está aqui chefe. Deve ter entrado na mina. – Disse o capataz
Um dos trabalhadores confirmou então.
– Ele entrou na mina como se estivesse com pressa.
– Com certeza quer fugir, mas dessa vez não vai. Venham homens.
Os homens do Xerife entraram na mina guiado por Jeff e alguns trabalhadores. Gabriel disse que iria chamar o Vingador Negro.
Os homens avançaram e cada um ficara de guarda em cada acesso principal das galerias.
– Dessa vez ele não vai escapar – disse o xerife.
Enquanto isso…
– Eles pensam que vão ficar com o meu ouro, mas estão muito enganados. Se eu não ficar com ele, mais ninguém vai ficar com o ouro da minha propriedade.
O homem louco tirou de dentro de um saco, algumas bananas de dinamite e acendeu…
Dois minutos mais tarde ouviu-se uma explosão de estarrecer qualquer um aconteceu e as galerias mais fundas ficaram sem acesso.
O xerife ordenou que todos saíssem da mina para evitar riscos de ficarem presos.
Dentro da mina, a explosão fechara todas as galerias. Agora o autor da mesma estava inconsolável.
– Por causa desses malditos perdi todo o meu ouro, Vou embora mas eu voltarei,
De repente…
– Voltará sim, para o hospício de onde saiu – falou uma figura furtiva nas sombras da mina apontando o revolver para o homem.
– Quem é você? O ouro está enterrado, eu não tenho mais nada.
– Eu não quero o seu ouro, mas devolvê-lo para o lugar de onde você nunca deveria ter saído – disse o mascarado todo vestido de negro.
– Eu descobri a sua artimanha ao entrar pelo buraco no fundo da galeria mais interna da mina, mas agora acabou.
– Você não vai me levar para lugar nenhum.
E dizendo isso, o homem sacou sua arma, mas prevendo o movimento, o Vingador Negro pegou o seu chicote e desarmou o homem. Depois, com uma corda que havia levado, amarrou o homem e direcionou o homem para o buraco no final da mina. Para a sorte deles, a parte da saída ficava longe do local da explosão.
Mais tarde, o capataz chegou correndo com Jeff para avisar:
– Chefe, xerife, o maluco se encontra no seu escritório amarrado.
Os homens correram até lá e encontraram amarrado e um bilhete em cima da mesa: que dizia “ Aí está o seu homem xerife. Com os cumprimentos do Vingador Negro”.
– Esse mascarado aparece até por aqui? Pensei que era exclusividade do estado do Texas.
– Quem é esse psicopata de verdade Xerife? – perguntou Gabriel que chegava na sala de Jeff.
– Ele há muito tempo foi o dono destas terras, mas não sabia que havia ouro por aqui e faliu. Teve que vender a propriedade para não morrer de fome, mas foi enganado por uma prostituta e perdeu todo o seu dinheiro. Assim, ficou louco e após matar três prostitutas foi preso e julgado. Decidiu-se então que ele estava louco e que deveria ir para o sanatório de onde fugiu ao saber que havia ouro por estas bandas. Bom, está na hora de ir, temos uma longa cavalgada pela frente.
E assim, os homens e o xerife levaram o louco embora.

 CONCLUI A SEGUIR…

Por Alci Santos

HANK – SEM SAÍDA – CAP.9


Finalmente dias depois do relato de Marcílio, Léo e Hank foram pedir investigações aos parentes de Ranulfo, mas quando souberam que Valdir estava no meio silenciaram.
Já estavam entrando no carro quando um rapazinho com seus 17 anos os parou.
– Esperem. Eu posso ajuda-los. Eu me chamo Rubem e preciso contar algo para vocês em relação ao meu tio e aquele homem Valdir.
– Pode falar. Estamos escutando. – Disse Léo – Meu tio um dia encontrou um cara chamado Nilson e estavam querendo eliminar esse cara que está preso.
– E porque isso? Como você soube? – Pergunta Hank. – Eu soube porque ia sair de casa e eles estavam discutindo no andar de baixo. Como meu tio tinha fama de doido resolvi não descer as escadas logo e fiquei escutando o que diziam. Eles conversavam sobre eliminar o tal de Valdir para o Nilson ficar com uma sociedade só para ele. Depois pagaria para meu tio e ele fugiria com o dinheiro pago. Parece o primo do tal Nilson encontrou com meu tio e acertou sobre onde ele receberia.
– Hum agora tudo esta fazendo mais sentido – Disse Hank olhando para Léo.
– Temos que encontrar esse primo do Nilson. Provavelmente ele resolveu tudo: Ele matou seu tio, Rubem, matou o Nilson e agora quer prender seu pai, Léo e assim estará livre.
Um carro com vidros fumê passa de maneira vagarosa ao lado dos três e dá três disparos de arma de fogo!
Os três escaparam milagrosamente atirando-se ao chão. O carro foi em disparada, mas Hank levantou rapidamente e pegou a placa.
No dia seguinte, no bairro centro de Torresville:
– Maria, vamos logo é pra hoje essa nota fiscal.
– Calma chefe. Já estou no fim.
– Com essa venda posso sair de férias para bem longe por uns tempos.
– Vai passear onde patrão? – Perguntou Maria.
– Ainda não sei Maria, mas vai ser para fora do país. Vou dar um tempo dessa Torresville.
Neste momento a porta da loja de automóveis se abre e entra o delegado de polícia.
– Sr. Borges da Silva? O senhor está preso pela morte de Nilson Macedo e Carlos Poyart.
– Mas do que você está falando?
– Conseguimos várias provas contra o senhor. Abrimos seu sigilo bancário e telefônico e tivemos a ajuda do Sr. Hank.

CONCLUI A SEGUIR…

Por Alci Santos

HANK – SEM SAÍDA – CAP.8


O homem aceitou conversar com os três e pediu para entrarem. Depois de servir refrigerante com biscoitos, passou a falar:
– O que desejam saber?
– Sr. Marcio precisamos saber sobre sua relação com o Sr. Nilson Borges.
O homem ficou sério, pigarreou e finalmente disse:
– Sinceramente não me agrada falar sobre esse homem, mas sou de, opinião que o Sr. Nilson não fez aquilo. Para mim, foi vingança de alguém que ele enganou, assim como eu.
– O que aconteceu entre vocês? – Perguntou Hank.
– Aquele miserável me enganou. Dizia que o cliente não havia pago as mensalidades do aluguel. Na verdade ele ficava com o dinheiro. Somente descobri isso depois que conversei com o Sr. Waldir.
– O que ele armava quando não honrava o acordo? – Perguntou Hank.
– Dizia que não tinha culpa se o cliente não pagava. Depois disso vimos que o cliente era primo dele. Mas não foram presos nem ele nem o primo.
No dia seguinte, Hank e Léo foram visitar o Marcílio.
– Ele era dessas pessoas que chamam para um relacionamento e depois de te usa, te dá um “PÉ NA BUNDA”. – Disse Marcílio.
– E como exatamente ele lhe usou?
– Nos conhecemos em uma festa e eu tinha conseguido ganhar cerca de cinco mil reais na quina. De alguma forma ele descobriu e teve um relacionamento comigo durante um ano. Ele me enganou dizendo que tinha um primo que estava muito doente. Fiquei com pena e dei o dinheiro para ele. Dois dias depois ele sumiu. Então eu tentei ligar para ele diversas vezes. Então recebi um SMS dele dizendo que não gostava de gays. Fiquei para baixo mesmo e cheguei a ameaça-lo publicamente, mas depois vi que não valia a pena. Hoje estou muito melhor financeiramente do que antes.
– Você conheceu o primo dele? Já é a segunda vez que ouço falar dessa pessoa. – Pergunta Hank.
– Não, ele apenas mencionou.
– Hum… Obrigado. Seu relato foi muito útil.
Mais tarde…
– Que cara é essa Hank?
– Estou desconfiando que o primo da vítima tem algo a ver com o assassinato.

CONTINUA…

Por Alci Santos

HANK – SEM SAÍDA – CAP.7


– O outro era um homossexual que vivia atrás de Nilson. Parece que arrastava a asa para o lado dele, mas Nilson já estava se irritando. Um dia mandou dizer para ele “CAIR FORA”, pois não gostava de viadinhos. Ele ficou depressivo. Seu nome era Marcílio. Um tempo depois se recuperou e disse que Nilson ia pagar muito caro.
O terceiro foi um psicopata. Ele costumava seguir as pessoas, mas ele fez pouco caso. Foi ai que Valdir o denunciou para polícia que o prendeu. Ele disse que ia se vingar. Depois de dias suicidou-se em um sanatório. Não descarto que alguém relacionado com ele possa esta tentando se vingar. Seu nome era Ranulfo. Hank ficou pensativo. Depois de um tempo disse:
– Vamos ter que convidar essas pessoas ou alguém próximo deles. – Léo olhou-o com desânimo. Para ele, as informações foram um sucesso, mas indireto. Teria ainda que investigar mais.
– Léo, eu sei que é difícil pra você, mas investigação é assim mesmo, nunca você tem as respostas logo.
No outro dia, Lívia juntou-se aos dois. Iam procurar aquelas pessoas ou relacionados com elas.
Silvia conseguira com um amigo, os endereços das três pessoas e passara para eles, mas pedira para não ser mais incomodada com esse caso. Se Léo quisesse tratar de outro assunto, ela estava aberta, mas para esse caso, estava fechada.
Duas horas depois…
– Esta é a casa de Marcio. – Disse Léo com um quase sorriso no rosto.
Lívia apertou a campainha. Dois minutos depois um homem aparentando 60 anos com óculos de grau apareceu para abrir a porta.
– O que deseja?
– O Sr. Marcio está? – Perguntou Hank
– É esse que vos fala. – Respondeu o homem.
– Sr. Marcio gostaríamos de falar sobre um assunto delicado. – Falou Hank olhando nos olhos dele profundamente.
– Qual é a bronca? Estou cheio delas. – Disse o homem bem humorado.
– É sobre um homem chamado Nilson que o senhor já teve problemas.
Quando ouviu o nome, o rosto mudou completamente, ficando com aspecto de quem estava com ódio.

CONTINUA…

Por Alci Santos