O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – EPÍLOGO


– Sei sim Luan. Você poderá estar em risco.

– Não só por isso, Vik mas porque pretendo estar no local quando o que vem por ai cair.

– Como você vai impedir isso de cair aqui?

– Eu não quero impedir, mas essa tatuagem está “piscando” direto desde que esse objeto apareceu.

– E o que isso quer dizer?

– Eu gostaria de saber tanto quanto você Vik. Algo me diz que terei algumas respostas em breve, mas não me pergunte o porquê.

– Então você está decidido a ir mesmo Luan?

– Sim, e a queda é daqui a alguns minutos. Não cairá na cidade porque senão já haveriam previsto isso, então deverá cair no mar e nós temos vantagem sobre quem não mora aqui.

E assim os dois amigos saíram.

Mais tarde…

– Sim, Vik nós já estamos aqui do outro lado de Avelar. As praias daqui não apresentam sinal algum de nada no céu, a não ser as estrelas e a lua – disse  Nick com um Walkie Talkie.

Neste momento uma bola de fogo surge no céu para os lados da praia que se chamava “Praia da Caneta” que era onde estavam Vik e Luan.

-Veja Luan, lá no alto.

– Estou vendo.

Passaram-se dez intermináveis minutos e exatamente há dois quilômetros mar adentro a bola de fogo se chocou com a água salgada.

Após alguns minutos, um tipo de escotilha abriu-se no objeto e algo desceu na água do mar. Algo parecido com um periscópio visto de longe apareceu na água e nadou até a praia.

Luan e Vik do lugar que estavam viram do que se tratava, mas não dava para distinguir direito e resolveram ir até a praia. A tatuagem no braço de Luan começou a piscar bem rápido.

Correram para a areia  e notaram algo se aproximando ainda dentro da água.

Quando chegaram a praia deram de cara com uma criatura saindo das águas…

FIM DA TEMPORADA

Por Alci Santos

Anúncios

O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – CAPÍTULO 08


– É pessoal na verdade eu não sei nada mesmo sobre mim ainda, mas parece que pelo menos vou ter uma vida digna.

– É isso ai pessoal, tomei a liberdade de chamar ele para nosso grupo, com certeza será de grande ajuda – disse Vik.

– Muito bem, já que é você que está dizendo, então eu aceito – falou Nick dando um positivo na forma de polegar da mão direita virado pra cima.

– E você Nina, o que me diz?

– Vik, normalmente tenho um sexto sentido para pessoas negativas, mas não estou vendo problemas com seu amigo, que agora é nosso amigo.

Luan sorriu e disse:

– Muito obrigado amigos. Ia ser difícil me adaptar sem vocês para me ajudar.

Mais tarde, na casa de Vik…

– Liga ai a TV Luan – Disse Vik enquanto tomava banho.

Luan ligou a TV e estava passando um filme comum.

Imediatamente houve uma interrupção do jornal para anunciar uma notícia bombástica:

“Um objeto voador não identificado acaba de entrar na atmosfera da Terra. Cremos que não deve ser um meteoro que vá se transformar em um meteorito. Vamos agora entrar em contato com os cientistas da Nasa. Simon Green é com você.”

Luan ficou com os olhos vidrados na tela por um momento. Resolveu em seguida chamar Vik.

– Vik venha cá rápido…

Vik rapidamente fechou o chuveiro e enxugou-se posteriormente envolvendo-se em uma toalha.

– O que foi Luan.

– Veja por você mesmo a entrevista deste cientista…

“… e achamos que esse objeto deverá cair no meio do oceano porém próximo a uma cidade chamada Avelar.”

Luan fez uma expressão de quem não está nada contente com isso.

– Isso é uma droga mesmo. Se isso cair mesmo aqui perto, vai encher de cientistas, exército, imprensa e curiosos. Você sabe o que isso significa Vik?

CONCLUI A SEGUIR…

Por Alci Santos

O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – CAPÍTULO 07


Enquanto isso, na parte de cima do “Tango”…

– Lá vem eles Luan. Nick e Nina. Eles são grandes amigos e parceiros e geralmente me dão uma ajuda quando preciso e vice-versa.

– Quem é esse ai Vik? Amigo novo? – perguntou Nina com um largo sorriso no rosto.

– Nina, esse é Luan um novo amigo. Você vai se surpreender com ele.

A moça e Luan apertaram as mãos e sorriram. Depois  Nick tomou o lugar de Nina.

Vik então olhou para os amigos e disse:

– Vamos para a cabine de sempre. Desta vez solicitei uma cadeira a mais.

No bar existiam várias cabines onde você poderia ter uma conversa mais intima e Vik e seus amigos sempre se reuniam em uma para conversar assuntos secretos.

Os amigos caminharam dentro do bar passando por duas salas de bebida e refeições e então entraram em uma sala com várias cabines bem separadas uma da outra e cinco delas pintadas na cor vermelha, o que significava que era à prova de som.

Entraram na cabine vermelha 7 e trancaram a porta.

Depois que todos sentaram em volta de uma mesinha redonda, Nina deu um sorriso e disse:

– E então rapazes o que está pegando dessa vez?

Vik a olhou e deu um breve sorriso e disse:

– Este que vocês estão vendo é um homem impossível.

Nick olhou com cara de quem não tinha entendido nada e perguntou:

– Como é que é?

– Pessoal nosso amigo Luan tem poderes extraordinários.

– Como assim? Ele é médium? – perguntou Nina.

– Não Nina, ele tem poderes que podem ocasionar uma ação física.

– Ele é um mutante então? – perguntou Nick.

– Não tenho certeza, mas acho que não. Na verdade nem ele sabe.

Todos olharam para Luan que sorriu.

CONTINUA…

Por Alci Santos

O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – CAPÍTULO 06


O Tango era o bar mais afamado de Avelar. Era o bar em que todas as celebridades frequentavam quando passavam pela cidade. O bar funciona 24 horas ininterruptas com revezamento das equipes de trabalho, mas sempre correu um boato que existe uma passagem secreta que leva à jogatina, prostituição e tudo que é de mais torpe no mundo. Já falaram até que  que há no subterrâneo do bar uma porta para o inferno, mas nada disso foi comprovado.

Houve sim muitas ocorrências onde a policia sempre esteve presente. Parece que até bandidos preferem traçar seus planos ali. Uma das lendas é que existe uma bica que se você tomar daquela água você terá inteligência diferenciada dos outros humanos. Mas tudo isso é lenda… Ou será que não? O fato é que existe mesmo uma passagem para o subterrâneo do bar.

–  É um completo escuro Vik, as coisas que me aconteceram antes de eu acordar na praia.

– Eu me lembro anos atrás de eu ter assistido uma série de TV a cabo chamada John Doe. Era um cara que acordou do mesmo jeito que você, mas com a diferença que ele sabia de tudo.

– A única coisa que eu sei Vik, é que eu quero provar dessa água milagrosa. Quem sabe seja o que está faltando para mim virar um deus hahahahaha.

Os dois se danaram a rir.

Subterrâneo do Bar Tango…

– Vamos logo, deve ser por aqui, não vê que vai se aprofundando mais?

– Não sei onde estava com a cabeça quando aceitei acompanhá-lo. Isso tudo que as pessoas falam desse bar são birutices.

– Não seja idiota. Só o fato deste subterrâneo existir já é uma prova que nem tudo é mentira.

– Não sei o que alguém não quer revelar para as pessoas, mas com certeza deve ser uma coisa muito valiosa, afinal contam tantas mentiras…

– Hummm e se no lugar disso, estiverem é protegendo as pessoas de algo que venham desse subterrâneo.

– Se houver algo ai além de ratos e baratas, sucumbirá ao meu trezoitão.

E dois olhos imensos os fitaram e ao mesmo tempo algo os espreitava na escuridão com nada boas intenções.

CONTINUA…

Por Alci Santos

O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – CAPÍTULO 05


– Porque todos vocês são manés e eu sou dono do pedaço e mando aqui. Quem vem pra cá está com risco de ser jogado no penhasco.

– O que faz você pensar que é o dono daqui? Alguém te vendeu?

– Mané eu não preciso que ninguém me dê nada. Eu pego e pronto sacou?

– Engraçado…

– O que é engraçado seu porra?

– Você me chamando o tempo todo de mané!

– É porque você é um manezão. Devia não ter mais vindo aqui.

– Os manés aqui são todos vocês que vivem à margem da lei.

Como é? Pra cima dele moçada vamos mostrar pra ele quem é o mané aqui.

Os capangas do marginal correram todos para cima de Vik para jogá-lo penhasco abaixo, mas não conseguiram porque neste momento um gládio de 5 pontas cortou o ar e cortou a jugular de cada um que caíram no chão jorrando sangue.

Vik estupefato saiu correndo e se escondeu pois o gládio começou a girar em volta de si mesmo e fechou as 5 lâminas em suas pontas e em uma explosão de luz se transformou em um homem…

…Um homem chamado…

– Luan????? – disse Vik estupefato. Você era essa espécie de gládio idêntico ao do filme Krull.

– Na verdade a transformação ocorreu por si mesma. Eu não quis me transformar nessa arma.

– Hummm esses seus poderes são muito estranhos Luan, mas eu acho que eles possam ser controlados.

– Vamos deixar esses caras aqui e denunciar para a policia de um telefone público, pois não quero que a policia saiba ainda que eu me salvei, senão vão fazer perguntas.

– Concordo, depois vamos tomar um trago no Tango Bar da cidade. Estou precisando. Depois vou te apresentar a duas pessoas de confiança que são muito amigos meus.

– Tudo bem Vik.

– Esses seus poderes são meio impossíveis para uma pessoa comum. No futuro, vou te chamar de O Homem Impossível por causa deles.

CONTINUA…

Por Alci Santos

O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – CAPÍTULO 04


Vik chegou em casa desconsolado. Estava até feliz por ter arranjado um novo amigo, mas esse lhe fôra tirado covardemente.
Deitou-se mas não conseguiu pegar no sono. Foi quando ouviu um barulho na sala.
Pegou uma arma e foi averiguar bem devagar. Entrou na sala e tal qual foi a sua surpresa:
– Luan? Mas… você não tinha caído no penhasco? Será que estou delirando?
– Não Vik sou eu mesmo. Como lhe disse antes coisas estranhas acontecem.
– Como conseguiu se safar da queda? Ali é alto e uma queda ali a pessoa vira pasta.
– Na verdade quando eles me jogaram, eu automaticamente flutuei.
– Então como todos saíram correndo, quando voltei lá não encontrei ninguém e voltei para cá.
– Humm Luan temos que ir na delegacia dizer que você está vivo, mas temos que pensar em algo para dizer para eles.
– Certo, mas depois vamos atrás dos engraçadinhos que queriam me jogar lá para baixo.
Vik estava estupefato. Nunca vira uma pessoa como Luan. Mas no lugar de achar ele uma aberração, gostava de ter um amigo com poderes.
– Luan não podemos deixar eles descobrirem que você tem esses poderes.
– Pode ficar tranquilo que nem me passou pela cabeça de falar isso para alguém, mas eu acho estranho essa tatoo mudar de cor todas as vezes que eu estou em perigo. De tempos em tempos eu descubro coisas novas sobre mim.
No dia seguinte, no mesmo lugar onde se iniciara a confusão…
– Pois é mano, não pegou nada para a gente. Olha o coroa que estava naquele dia que você jogou o amigo dele lá para baixo.
– Esses caras não aprendem que esse pedaço é nosso e eles não podem vir aqui. Vou ter que esclarecer isso novamente pra esse cara.
Quando Vik se aproximou…
-Olha só quem voltou para ser limpo novamente. Você gosta de doar suas coisas né mané?
– Porque você jogou meu amigo lá em baixo ontem?

CONTINUA…

Por Alci Santos

O HOMEM IMPOSSÍVEL – JOHN DOE – CAPÍTULO 03


Dia seguinte, na casa de Vik…

– E então? Está melhor hoje?

– Estou sim Vik, graças a você.

– Que nada, você que é forte. Quer dar um passeio para conhecer as redondezas? Você vai gostar de ver a paisagem na horizontal em um penhasco aqui perto.

– Vamos lá – disse Luan.

Dez minutos depois…

– Nooossa, que coisa linda.

– Pois é mas olhe o fundo. Se alguém cair ai não tem salvação.

– Nem pensar

E dizendo isso ficou a olhar fixamente para a paisagem.

De repente…

– Patas pra cima, os dois! É um assalto! Passem tudo o que vocês tem! E nem pensar em fazer gracinhas.

Os bandidos pareciam estar drogados e primeiramente pegaram tudo que Vik possuía no corpo desde o celular nas roupas até elas mesmas só o deixaram a cueca.

– Só vou deixar essa tua cueca porque não quero ver coisa feia mané!

– Agora você cara de doido passe logo as suas coisas.

– Só tenho essas roupas não tenho mais nada.

– O que um otário como tu está fazendo aqui? Nessa bosta de cidade todo mundo é rico. Todo mundo anda com alguma coisa – falou o homem apontando para a cara de Luan.

– Eu nem sei onde moro. Estou de favor com o cara aí.

Os bandidos pegaram as roupas de Luan, e só o deixaram de cueca do mesmo jeito.

– Bom fora essa roupa fajuta tu não tem nada não né?

Quando Luan respondeu que não, o pegaram e o arrastaram a beira do precipício, imediatamente a marca do seu antebraço começou a reluzir e mudar de cores.

Mas foi muito rápido e eles o jogaram penhasco abaixo. Depois ficaram rindo.

Continua…

Por Alci Santos