PÁGINA 102


Mágoa horrenda, ânsia horrenda, ciúme horrendo
Esta mísera página continha,
E Ela, por lê-la, dos seus olhos vinha,
Vinha um fio de lágrimas descendo…

Esta os seus olhos que choravam lendo,
Mais do que as outras páginas detinha,
E àquele pranto pela angústia minha
Iam-me os versos desaparecendo…

A sua última lágrima desfê-los…
Hoje estes mesmos pobres versos choram
O lugar dos antigos ocupando,

E estes, como os primeiros, que os seus belos,
Seus tristes olhos apagando foram,
Vão-se-me agora aos poucos apagando.

Por Pedro Rabelo

Anúncios

A JÚLIA


No teu olhar, cheio da luz chorosa
Que envolve o Espaço quando a tarde expira,
Bóia uma doce mágoa lacrimosa,
Uma saudade indefinida gira.
E quando afirmes que não tem começo
A dor sem fim que no teu seio existe
Queres assim, eu muito bem conheço,
Fazer-me crer que já nasceste triste.
E falas a sorrir: “Essa dolente
Tristeza amarga que me empana o olhar
É a vaga chorando eternamente
Por não poder se separar do mar…

E se te fito a umedecida boca
E vejo rubro o lábio que sorri,
Logo pergunto, num cismar de louca,
À mente e ao coração, se és tu quem ri.
Pois é tão mansa a chama destes olhos
Envoltos na carícia do sorriso,
Que eu penso que teus cílios são abrolhos,
Abrolhos rodeando um paraíso…

Por Auta de Souza

A LUZ QUE BRILHA


No escuro da saudade
Habita um triste pensamento
Que busca intensamente
Uma alegria antes perdida
Perdida…No tempo
Perdida…Nas folhas secas jogadas ao vento
Perdida…Nas belas tardes de outono.

São longas as jornadas
E na longa estradas
Os caminhos são tortuosos
Espinhos existem
Mesmo assim  meus pés insistem
Numa busca sem fim
Esconde de mim, no fundo de mim
A luz que eu procuro
Foges de mim

A alegria perdida ,antes contida
No perfume das flores
E hoje perdida no orvalhar
Da relva de toda manhã
Perdida nos raios de sol
escondidos da noite.
Atrás das estrelas
Na magia da lua…esconde de mim

Eu busco no centro do mundo
E bem lá no fundo
A luz brilha forte
Eu sigo feliz meu caminho
E chego a um ninho
De acalento e amor.

Flores aos montes
Belas fadas encantam
Um mundo perdido
Atravesso campos emborboletados
Vaga-lumes piscando
E sinto que esta prestes a chegar
O que tanto anseio e vim procurar

Os pés cansados mas sempre no chão
Pensamentos voando
Seguindo sempre o coração
A luz que procuro …
A felicidade perdida
Um dia hei de achar..

A luz que brilha,vem chegando…

Por Romântica Apaixonada

CADÊ VOCÊ?


Cadê você?

Quero tanto acreditar que existe,

Mas cadê?

Você que dorme de pijaminha clarinho,

Ou com estampas de bichinhos.

 

Cadê você?

Que não é fraca,

Mas me faz sentir como uma fortaleza,

E que a mim sempre retorna chorando.

 

Cadê você?

Que lê livros e se emociona,

Vê filmes e chora,

Assiste ao jornal e se revolta…

Cadê?

Quero acreditar que esta aí,

Em algum lugar.

 

Cadê você?

Que fica vermelha ao meu beijo,

Que pede desculpas ao telefone,

Que me abraça sempre como se fosse a ultima vez,

Que me faz olhar a vida sorrindo.

 

Cade você?

Onde você esta para prezar o que quero lhe dar,

Para sorrir quando te visitar,

E assim te segurar a cada queda,

Pegar sua mão em cada medo bobo,

Te olhar a cada saudade,

Simplesmente te amar sem ter medo da dor…

Mas, cadê você?