MEUS FRUTOS


Já não m’importa o ser imortal
Que minha obra a minha sobreviva
Ou que se perca de forma furtiva
Entr’alfarrábios n’algum vendaval

O que m’ímporta é a hora atual
Pois que meu estro é qual a estiva:
De levar pesos jamais se esquiva
Por mais que achem ser este o seu mal

Entre o satírico e o lirismo
Vão minhas letras buscando espaço
Galgo as montanhas e desço ao abismo

Mas se apenas restar uma linha
Único verso riscado a compasso…
Será meu fruto de toda uma vinha.

Por Jorge Linhaça

Anúncios

PRA LONGE


Cansei de tanto esperar

Cansei de tanto te aguentar

Você simplesmente me ignora

Cansei desse jeito de ser

Cansei de tanto ouvir você dizer

Que não vai dar, que não vai dar

Eu vou pra longe, pra longe e distante

Te esquecer

Eu vou pra longe, pra longe e distante

De você

Não vou me perder no tempo

Esperando um sentimento

Que não diz nada de você

Vou em busca de alguém

Que me mostre o grande amor

Que eu anseio alcançar

Vou vencer este amor

Não vou me arrepender

Eu cansei de você

Vou pra longe desse abraço

Vou pra longe desse sorriso

Eu quero minha vida viver

Por Naor Willians

A ETERNIDADE DE UM MOMENTO


De que vale um momento
Se o que quero é a eternidade
De que vale ou quanto vale
Um momento na eternidade
Será que é possível?
Ou será que é viagem?
De que vale?
Vale a eternidade de um momento!
Onde anseio viver intensamente
Mas não sei se ainda há tempo
De que vale um momento não eternizado
De que vale…
Se nunca será lembrado
Pois o eternizado há de ser um momento
E um momento pode se eternizar
Mas um sem outro nada vale
E o que vale passa a faltar
Termina o momento
E se este eternizou quem me dirá?

Ronaldo Nunes

CHUVA DE ESTRELAS


Grandes nacos de céu,
vestidos de luto.
aquela chuva de estrelas,
multicores…
Abraçando alegria,
naquele grande vulto
abismado…
com as mais variadas cores!

Cubro o meu sorriso
na noite diamante.
Mãos erguidas…
para o teto do mundo
Danço,
coberta de estrelas cintilantes
Abarco a área
com um olhar profundo!

Entre uns e outros,
um pequeno nada
Eu!
Na expectante noite sideral
Degusto extasiada…
a gota da limonada
Que me transporta para o mundo real!

Pincelada,
a aurora nasce prematura
O sol raiando,
tapa já a noite encantada
Apagando…
os vestígios desta aventura.

À noite de luar por mim tão suspirada!

Por Maria Valadas